Necessária solidão

"É na solidão, onde cada um está entregue a si mesmo, que se mostra o que se tem em si mesmo.Nela, sob a púrpura, o simplório suspira, carregando o fardo irremovível da sua mísera individualidade, enquanto o mais talentoso povoa e vivifica com os seus pensamentos o ambiente mais ermo." Arthur Schopenhauer

domingo, abril 27, 2014

Comprar - Jogar fora - Comprar

Todos, querendo ou não, estamos submetidos à "ditadura do consumo". Poucos, porém, entendem as razões pelas quais chegamos até ela. Muitas de nossas dificuldades decorrem do fato de que trabalhamos cada vez mais, para comprar coisas que usaremos cada vez menos. Muitas delas, absolutamente desnecessárias. Pelo excesso de trabalho, comprometemos nossa qualidade de vida, nossos laços familiares ficam cada vez mais frágeis e nossos amigos ficam cada vez mais "virtuais". Nossas vidas, se não estivermos atentos, podem ficar vazias, ocas... Talvez seja esta uma das explicações para tantas pessoas depressivas, por exemplo, cujas explicações psico-farmacológicas muitas vezes não convencem. O documentário a seguir deveria ser objeto de reflexão por todos aqueles que ainda buscam alguma explicação para o mundo em que vivemos e que ainda tentam imprimir algum sentido ético sobre o consumo em nossas vidas.


                                     

1 Comments:

Anonymous raquel said...

Assim como as meias de Nylon, outrora produzidas para serem resistentes e não terem sua fibra desgastada, também as pessoas eram criadas para resistirem, para passarem de modo digno pela austeridade, para, resilientes,se tornarem mais honrosos, sempre com sua luz brilhando, como aquela lâmpada que nunca apaga. Sou de uma geração de fracos, de meias que se desfiam ao menor toque, de pessoas que se desestruturam ao menor contato com a realidade, de lâmpadas que estouram ao menor contato com a energia da vida.
Gosto dos seus textos, Plínio.

2:28 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home