Necessária solidão

"É na solidão, onde cada um está entregue a si mesmo, que se mostra o que se tem em si mesmo.Nela, sob a púrpura, o simplório suspira, carregando o fardo irremovível da sua mísera individualidade, enquanto o mais talentoso povoa e vivifica com os seus pensamentos o ambiente mais ermo." Arthur Schopenhauer

domingo, maio 01, 2016

Nunca más!

Como diria o "matuto sábio": uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa! Que fique claro que estou tão indignado quanto qualquer um com a corrupção. Corruptos devem ser identificados, julgados e, se comprovadamente culpados, que se acertem com a justiça. A corrupção não nasceu com este ou aquele partido e floresce graças a um sistema político cheio de vícios e se perpetua graças à concepção patrimonialista que impera neste país desde que ele existe. Agora, esse ódio destilado nas ruas e nas redes sociais é sintomático de uma psicopatia social sem precedentes. De repente, pessoas que eu imaginava ter um sentido crítico refinado se tornaram, da noite para o dia, seres truculentos e de um primitivismo opinativo singular. Fico a me perguntar se esses "quetais" que defendem uma "intervenção militar" fazem algum esforço para serem imbecis ou se isso lhes acontece naturalmente!

Regimes autoritários são a antítese de qualquer processo civilizatório e só a imbecilidade, a ignorância ou o oportunismo mentecapto - ou tudo isso junto - podem explicar o comportamento de quem pensa que uma intervenção militar é um "mal necessário". Prisões de pessoas inocentes no meio da madrugada, sem julgamento ou mandado judicial; centros de tortura espalhados pelo país; universidades sufocadas pela truculência dos "coronéis" travestidos de assessores especiais - sic - de segurança e informações; uma geração de jovens amordaçada pela censura e pela impossibilidade de discutir aberta e publicamente os destinos do país: é isso - e outras "cositas más" que faz uma intervenção militar.

Leva tempo e muita democracia para colocar um país nos trilhos novamente, porém esta - a democracia - é a única via possível. As demais vias significam estradas escuras, tiros de fuzis e o silêncio das vozes dissonantes. Transitam por elas, com desenvoltura, apenas aqueles que se sentem "homens" se estiverem com uma arma na mão, caso contrário se comportam como invertebrados e asquerosos seres rastejantes que dançam ao som da cantilena macabra dos adoradores do verde-oliva.

Esquecem os "queridinhos da mamãe" que numa ditadura não adianta fazer "beicinho" e que a primeira coisa que uma ditadura fará será acabar com os "whatsapps" e "facebooks" da vida e que a garotada adora utilizar para "puxar palavras de ordem" ou "contra tudo isso que aí está"!Ignoram as questões geo-políticas que estão nos bastidores dessa disputa; sua preguiça mental os impede de enxergar além daquilo que está na superfície e sequer se dão ao trabalho de considerar que podem estar equivocados e que a verdade pode ter muitas faces. Condenam por ouvir dizer, repassam números e estatísticas sem verificar se a fonte consultada é fidedigna. Sabem, porém, com perfeição, apoiar seus "derrières" num confortável sofá e assistir ao desfile cínico da globo, deleitar-se com a "Revista Caras" ou irem para Miami, acreditando piamente que encher as malas de bugigangas compradas dos gringos - e fabricadas em países que ainda utilizam trabalho escravo e infantil - é o "verdadeiro sentido da vida".

NEVER MORE!

As a "wise old man" would say: "One thing is one thing, another thing is something else!" Make it clear that I am as outraged as anyone with corruption. Corrupt people - politicians or not - must be identified, tried and, if proven guilty, that they settle with justice. Corruption was not born with this or that party and it blossoms thanks to a political system full of 'bad habits' and perpetuated thanks to the patrimonialist conception that prevails in this country since it exists. Now, this hatred distilled in the streets and social networks is symptomatic of an unprecedented 'social psychopathy'. Suddenly, people who I imagined to have a refined critical sense became, overnight, truculent beings and with a singular primitivism in their opinions. 

I wonder if those "good guys" that defend a "military intervention" make any effort to be fools or if this naturally comes to them! Authoritarian regimes are the antithesis of any civilizing process and only imbecility, ignorance, or mindless opportunism - or all of this together - can explain the behavior of those who think military intervention is a "necessary evil." 

Prisons of innocent people in the middle of the night, without trial or court order; centers of torture throughout the country; universities suffocated by the truculence of the "colonels" transvestites of special advisors - sic - of security and information; a generation of young people gagged by censorship and the impossibility of discussing openly and publicly the destinies of the country: this is it - and other "bad things" that makes a military intervention.  

It takes time and a lot of democracy to put a country back on track, but democracy is the only possible way. The other routes mean dark roads, rifle shots, and the silence of the dissenting voices. Only those who feel "manly" if they have a gun in their hands can move about them, otherwise they behave like invertebrates and disgusting creatures that dance to the macabre song of olive-worshipers. 

The "mother's darlings" forget that in a dictatorship it is of no use pouting and that the first thing that a dictatorship will do will be to end the "whatsapps" and "facebooks" of life and that the kids love to use to pull "words of order" against "all that is there!". They ignore the geo-political issues behind the scenes; their mental laziness prevents them from seeing beyond what is on the surface and does not even bother to consider that they may be wrong and that the truth can have many faces. They condemn by hearing, pass on numbers and statistics without checking whether the source consulted is reliable. 

They believe, however, that supportting their "derrières" on a comfortable sofa, watching the cynical parade on TV, enjoying "sensationalistic weekly magazines" or going to Miami - to fill the bags of trinkets bought from the gringos - and often manufactured in countries that still use slaves and child labor - is the "true meaning of life."

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home